Categoria: Teoria Musical

Vamos falar um pouco de teoria musical?
A intenção aqui é apenas passar alguns conceitos básicos que infelizmente muita gente acaba negligenciando.
É importante que todo mundo que almeja aprender a tocar qualquer instrumento que seja, violão, guitarra, contrabaixo, bateria, etc, não pode pular a base, ou seja, a parte teórica onde você aprende os conceitos de timbres, parâmetros do som, melodia, ritmo e muito mais.
Aqui não vamos abordar todos os assuntos que constitui a teoria musical, pois felizmente existem excelentes materiais disponíveis na internet.
Alguns são pagos, mas veja isso como um investimento em você, no seu aprendizado, na sua vida tanto pessoal como profissional.
Bom, chega de papo e vamos ao que interessa.
O que é música?
Penso que ninguém sabe ao certo a sua origem, por isso ela tem sido alvo de calorosas discussões a tempos.
Muitos defendem que qualquer som produzido seguindo uma determina sincronia pode ser considerado uma música.
Mas a música é muito mais complexa do que isso.
Ela pode ser considerada a junção de melodia, ritmo e harmonia.
Melodia
Melodia, explicado de forma bem simplista é a voz que está cantando a música. No violão tocado estilo fingerstyle a melodia é produzida pelas próprias notas do violão.
Ritmo
Ritmo é considerado a batida, a marcação do tempo dentro da canção. Nas tablaturas você pode notar em determinadas partes, setas para cima e para baixo, indicando o ritmo.
Harmonia
Harmonia é o som das notas musicais, dos acordes que você está tocando. Quem está ao mesmo tempo tocando violão e cantando, na verdade está fazendo a harmonia por meio dos acordes e notas musicas enquanto faz também a melodia com a sua voz.
Outro conceito bastante interessante também dentro do mundo da música é que chamamos de dinâmica.
Já prestou atenção que algumas músicas estão suave, baixinha e de repente dá uma aumentada perceptível a qualquer um e volta ao normal?
Isso é conhecido como dinâmica.
Bom pessoal continue acompanhando os artigos que vamos está sempre trazendo conteúdo de qualidade para você alavancar os seus resultados e destravar o seu potencial.

O Quem Vem a Ser Escalas Musicais

A grosso modo são a ordenação, a sequência da execução das notas musicais. Se pegarmos como exemplo:

DÓ, RÉ, MI, FÁ, SOL, LÁ, SI, DÓ….

E repetindo continuamente este ciclo teremos uma escala que começou na nota de dó maior (C) e foi seguindo uma sequência de intervalos definidos até chegar novamente na nota de dó maior (C).

Recomendamos que leia este artigo para entender a questão dos tons e semi-tons em cada uma destas notas.

É importante ressaltar que as notas com sustenidos, ou seja,

 

Veremos a Escala Maior

Essa sequência que apresentamos logo acima é a escala maior. Mas também poderíamos usar esta mesma escala maior iniciando a partir de qualquer outra nota que não fosse o dó, como por exemplo, começando da nota sol (G).

A diferença é que no primeiro caso teríamos a escama maior de dó. Já no segundo caso seria a escala maior de sol. Simples assim!

Para cada uma das 12 notas musicais que conhecemos, poderíamos montar uma escala para cada uma delas. Veja na imagem abaixo.

Faça um exercício praticando estas notas no braço do seu violão para facilitar o seu aprendizado e memorização dessas notas corretamente.

 

 

Escala Menor

Partindo de outra ponta, a formação da escala menor segue uma sequência diferente da que vimos na escala maior.

Perceba:

tom, semitom, tom, tom, semitom, tom, tom…repetindo o ciclo.

Vamos ver um exemplo prático construindo a escala menor de dó.

Pra isso basta seguirmos a sequência começando pela nota dó. Vai ficar assim:

dó, ré, ré#, fá, sol, sol#, lá#, dó… repetindo o ciclo.

Neste caso aqui o sustenido (#) teria o mesmo som do bemol (b). Isso é chamado também de enarmonia: quando duas notas tem o mesmo som, porém a escrita é diferente.

Logo esta mesmo escala pode ser representada pelas seguintes notas:

dó, ré, mib, fá, sol, láb, sib, dó.

É absolutamente a mesma coisa, só a escrita e pronúncia são diferentes.

É mais comum encontrarmos a escala menor de dó escrita da segunda maneira, usando os bemóis no lugar do sustenido.

O fato da segunda forma de escrita ser mais preferível à primeira é porque ela permite que se percebam as funções harmônicas com mais facilidades. Apenas por isso.

 

Porque escala maior e escala menor?

Estes nomes foram definidos porque a diferença entre uma e outra se dá no terceiro grau, no sexto grau e no sétimo grau. Pois na escala maior esses graus sãos maiores e na escala menor, como já deve ter percebido, eles são menores.

Bom, espero que este pequeno artigo tenha sido útil para você. Fizemos aqui apenas um resumo para não confundir muita a sua cabeça com uma overdose de informação.

Passamos apenas o essencial que você precisa saber neste momento.

Um Abraço!

O Que São Notas Musicais?

Uma nota musical pode ser categorizada como o elemento mínimo de um determinado som. Como bem sabemos o som é constituído de frequência, que por sua vez é medida em Hertz.

Acontece que quando a corda vibra ela está neste momento movimentando as moléculas de ar que estão ao seu redor.

Como que seguindo um compasso exato, tais moléculas vibram na exata proporção que as cordas e o cérebro têm o papel de captar e interpretar essa vibração como um som.

Cada som é característico, ou seja, uma nota diferente.

Para facilitar mais a nossa compreensão, as notas musicais são representas por letras do nosso próprio alfabeto e sua representação é a mesma usada no mundo inteiro. O que facilita e muito a comunicação entre músicos.

Já imaginou se em cada país a representação das notas musicais fosse diferente?

São 7 letras que representam as notas principais.

C = DÓ

D = RÉ

E = MI

F = FÁ

G = SOL

A = LÁ

B = SI

 

Talvez você não tenha percebido, mas se organizarmos estas letras terá a seguinte sequência: A, B, C, D, E, F, G.

 

Há também outras representações dessas notas musicais usando o que conhecemos como partitura. Mas este é um assunto mais avançado e que para compreendê-lo é necessário que saiba o básico que explicamos acima.

Procure decorar as letras correspondentes as notas musicas de cor e salteado, de trás pra frente e de frente pra tráz 😀

O primeiro passo nos estudos da teoria musical é compreender a escala cromática de C (Dó Maior) e entender o conceito de tom, semitom, sustenido e bemol.

Por exemplo:

Entre C e D existe o intervalo de 1 tom.

Entre D e E existe o intervalo de 1 tom.

Entre E e F existe o intervalo de meio tom.

Entre F e G existe o intervalo de 1 tom.

Entre G e A existe o intervalo de 1 tom.

Entre A e B existe o intervalo de 1 tom.

Entre B e C existe o intervalo de meio tom.

 

Repare que somente entre E (MI) e F (FÁ) bem como entre B (SI) e C (DÓ) existe o intervalo de meio tom.

Para te ajudar nos estudos e memorização desses detalhes, aconselhamos que peque no Google mesmo uma imagem contendo a localização das notas musicais no braço do violão e vá decorando, fazendo um estudo do braço até decorar todas as posições das notas musicais no braço do violão.

Espero que tenha sido útil para você.

Um Abraço!